Pasteurizador

10.11.20

PASTEURIZADOR  E ESTERILIZADOR PARA SUCO E POLPA DE FRUTAS Pasteurizador tipo casco e múltiplos tubos para o tratamento térmico de […]

PASTEURIZADOR  E ESTERILIZADOR PARA SUCO E POLPA DE FRUTAS

Pasteurizador tipo casco e múltiplos tubos para o tratamento térmico de sucos e polpas de frutas, podendo operar como:

Flash Pasteurizador, ou seja, com pasteurização preliminar branda, para tornar inerte a ação de enzimas e reduzir a carga microbiológica com a mínima alteração das propriedades organolépticas;

Pasteurizador para atender a demanda de tratamento microbiológico em atendimento aos requisitos do processo e normas aplicáveis;

Esterilizador para a eliminação microbiológica plenamente controlada, com mínima degradação de propriedades do produto.

A diferenciação da forma de operação se dá na fixação dos parâmetros de controle no painel ou na tela do supervisório. O equipamento ajusta-se automaticamente ao processo estabelecido.

O equipamento é integrado ao processamento precedente para continuidade de operação, modulando em até 50% de sua capacidade a 110 % de sua capacidade de modo a não entrar em modo de limpeza ou recirculação.

O equipamento é integrado aos equipamentos posteriores de modo haver continuidade e uniformidade no produto tratado.

Componentes do Pasteurizador

Um tanque pulmão para estabilização da operação e outras funções de preparação do equipamento, limpeza e assepsia, recebe o suco que é transferido para os setores de tratamento por meio de bomba positiva controlada por inversor de frequência e medidor de vazão intertravados.

O pasteurizador é estruturado em cinco setores:

Setor de Entrada do Suco e Regeneração: O suco é preaquecido com calor recuperado no Setor de resfriamento, por meio de troca indireta com água passando pela camisa. O suco ou polpa sempre percorre os tubos, nunca a camisa, em todos os setores. Este setor recupera calor, diminui o consumo de vapor, diminui a massa de água de torre em circulação e devolve a água à torre com baixa demanda energética. As bombas de água de fazem parte do equipamento e estão governadas pela automação e suprimento de força.

Setor de Aquecimento: O suco á aquecido por meio de circulação de água quente em circuito fechado, passando pela camisa. A temperatura de aquecimento é determinada nos parâmetros de trabalho. O circuito de água de aquecimento é formado por bomba de circulação, trocador de calor de placas, estação redutora e controladora de vazão de vapor, vaso de expansão, válvulas de segurança e alívio de pressão; purgadores de condensado com recuperação. O consumo de vapor varia de acordo com o regime operacional estabelecido. O sistema de recirculação é isolado termicamente, mantendo a máxima eficiência e impactando ao mínimo o ambiente.

Setor de Tempo de Tratamento: Conjunto de tubos que determinam o tempo de permanência do produto na temperatura de tratamento. O tempo de permanência pode ser ajustado para 30 a 5  segundos com conexões simples.

Setor de resfriamento: Composto segmentos de troca térmica, o calor é retirado por meio de troca com água que depois irá transferir esse mesmo calor no setor de Regeneração. A Alimentação da água de resfriamento é feita por bomba centrífuga provida de inversor de frequência que modula a troca térmica de modo a obter om melhor rendimento energético. A pressão da água de resfriamento nunca é maior que a pressão do produto, para garantir que em caso de falha, se houver vazamento, este ocorra sempre do produto para a água e não o contrário. Para garantir essa condição, ao segundo setor de Regeneração é adicionada uma bomba booster, de modo que a pressão seja o suficiente para a perda de carga e o retorno. O dimensionamento exato desta bomba será feito após análise das instalações do Cliente.

Setor de Frio: composto de segmentos, e bomba com inversor de frequência, para troca térmica com solução refrigerante, para redução da temperatura do produto para os patamares de estocagem ou envase.

Para garantia da pressão do produto estar sempre acima das utilidades há duas válvulas de contrapressão instaladas, uma no circuito principal e outra no circuito de by pass.

O sensor de temperatura na entrada do Setor de Tempo determina se haverá retorno do produto ao tanque pulmão de entrada, em by pass, por não ter sido atingida a temperatura de set point, ou continuará em fluxo normal. Uma válvula automaticamente fará a inversão de fluxos. O sistema será controlado para haver o tempo suficiente para estabilização e garantia do tratamento microbiológico.

O Equipamento é fornecido com painel de força e painel de comando com tela de toque. A automação poderá ser integrada a um supervisório. Toda a lógica de controle, licença de software, instrumentos e dispositivos do equipamento estão inclusos no fornecimento.

Mantenha-se informado