COMO FUNCIONA UMA XAROPARIA

04.09.20

COMO FUNCIONA UMA XAROPARIA E QUAIS AS INFORMAÇÕES QUE VOCÊ DEVE POSSUIR AO DESENVOLVER UM NOVO PROCESSO

Xaroparias são instalações que se aplicam a qualquer tipo de empreendimento no ramo alimentício. Diversos produtos são elaborados através do processo como: refrigerantes, néctares de frutas, xaropes vegetais, isotônicos e energéticos.

Para tanto quando desenvolvemos um processo é importante ter o conhecimento de pontos como o volume de produção para cada tipo de produto e qual a perspectiva de crescimento da empresa.

Insumos

O principal insumo usado no processo é a água, para tanto devesse verificar a fonte e capacidade de vazão, pois representa 88% do volume de produção, está deve ser filtrada e micro biologicamente tratada com cloro e ao aplicar no produto deve estar isenta de cloro. Para a fonte de água é importante possuir rede de distribuição e tanque de água bruta, filtro de carvão, tanque de água clorada, tanque de água de processo e distribuição. Por mais que a água seja de excelente qualidade, se o seu armazenamento e tratamento forem precários podem surgir contaminações o que pode acarretar encerramento dos negócios.

O Açúcar é o segundo insumo mais aplicado, este pode ser obtido na forma de cristal, em sacos ou em bags, sendo esta última a condição mais econômica; pode ser obtido dissolvido e pasteurizado na concentração de 60%. As instalações necessárias envolvem infraestrutura de descarregamento para sacos ou bags; Se comprado concentrado necessário tanques de recepção e armazenamento com volume adequado, com alternância no processo de CIP e SIP.

O terceiro insumo em importância são os sucos concentrados de frutas, comprados em tambores em brix ou concentração de 62 a 70%, conforme padrão de comercialização. Sucos de: laranja, limão, acerola, uva, maracujá, etc.

CO2: Utilizado para a carbonatação dos refrigerantes. É fornecido por empresa especializada, em comodato. Ou seja: O Fornecedor instala toda a infraestrutura de recebimento e armazenamento do CO2 líquido, em tanque criogênico, e o evaporador de transformação em gasoso, de acordo com a demanda de consumo.

A Aplicação do CO2 é feita num equipamento específico, carbonatador, que ao mesmo tempo dilui com água tratada o xarope na concentração do produto final, resfria e adiciona o CO2 gasoso, sob pressão, imediatamente antes do envase.

Produtos de Limpeza, Produtos para CIP e SIP.

Devem ser incluídas as unidades de preparo e distribuição de solução de limpeza, unidades de CIP e SIP.

Os produtos de limpeza:

Soda: No caso de recebimento à granel deve ser previsto um tanque para o armazenamento com capacidade volumétrica que atenda a demanda. No caso de recebimento embalado, deve haver local de depósito adequado, com contenção para o armazenamento do volume necessário.

Ácido Nítrico e ácido Peracético: recebido normalmente em bombonas de 25 ou 50 litros, pois o volume de consumo é menor.

A Central CIP/SIP será composta pelos tanques: Tanque de Água Recuperada de ultimo enxague para posterior primeiro enxague; Tanque de solução de soda; Tanque de água tratada para enxague; Tanque de solução ácida para abrandamento: Tanque de solução para assepsia; bombas, filtros e aquecedor de água.

Estação de Tratamento de Efluentes Líquidos

De acordo com os tipos de produto elaborados e a sucessão de troca de produtos em linha teremos mais ou menos processos de limpeza de equipamentos e pisos. Normalmente os resíduos líquidos contém muito açúcar o que facilita seu tratamento aeróbico ou anaeróbico, em tanques de aço inox, com ou sem o insuflar de ar.

Os tanques são dimensionados para um período de residência do efluente em tratamento, para ação dos micro-organismos e formação de lodo. Equipamentos complementares adicionam produtos químicos que propiciam a floculação e remoção de sólidos. Um equipamento específico como o decanter ou prensa de fita seca o lodo e o destina em container para remoção e destinação. A água remanescente e excedente é armazenada analisada e enviada para o corpo de captação (rio) ou reutilizada.

Dimensionamento da Produção

Em função da diversidade e simultaneidade de produtos teremos a quantidade de linhas de produção e envase alinhados.

Os insumos apresentam pequeno tempo de residência em operação. As operações de produção são iniciadas com o preparo do xarope de açúcar, que pode ser feito em escala independente e de acordo com planejamento, podendo ser estocado.

A preparação do xarope específico se faz em um tanque misturador, onde são adicionados os insumos e homogeneizados. Depois de concluída a etapa de mistura o produto é bombeado controladamente passando por um pasteurizador e equipamento de diluição e carbonatação e, em seguida, a máquina de envase. Entre a mistura e o envase pode ser adicionado um tanque pulmão para absorver as variações de vazão e paradas da linha de envase. Haverá tantas linhas como a descrita, tanto quantos produtos sejam feitos simultaneamente, por definição do Cliente e sua determinada escala de produção. O volume e vazão dos equipamentos é função da capacidade de produção.

A definição dos custos de instalações do processo e envase dependem do valor estabelecido pelo Cliente como alvo do investimento, ou, seu budget. As facilidades operacionais podem ser moldadas de acordo com a verba disponibilizada, inclusive a determinação de sua inviabilidade. Ter a operação 100% manual ou 100% automatizada é condição concluída nesta análise.

Quer saber mais? Converse com nossos vendedores técnicos.

ou acesse https://conteudo.ricefer.com.br/duvidas-ricefer e tire suas duvidas.

Mantenha-se informado